FIA LANÇA CAMPANHA PARA EVITAR O DESAPARECIMENTO DE CRIANÇAS DURANTE O CARNAVAL

Atualizado em 23/02/2017 - 10:33h

Ações vão contar com parceria da Operação Centro Presente, Consórcio BRT e Rodoviária Novo Rio na distribuição de pulseiras de identificação

O bloco da Fundação para a Infância e Adolescência (FIA) já está na rua neste Carnaval. A campanha foi lançada nesta quarta-feira (22/2), na base Central do Brasil da Operação Centro Presente, na Praça Duque de Caxias, e terá três frentes para evitar o desaparecimento de crianças durante os dias de folia: as parcerias com o projeto Centro Presente e o Consórcio BRT e uma ação na Rodoviária Novo Rio. Durante as ações do Carnaval, serão distribuídos 60 mil folhetos e pulseiras de identificação bilíngues.

Os números da FIA, vinculada à Secretaria de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento Social, indicam que a ação de conscientização e prevenção é mais do que necessária. Atualmente, há no estado 507 crianças e jovens desaparecidos entre 0 e 21 anos, sendo 60 na capital. O órgão já conseguiu localizar 2.910 pessoas. "A ação integrada permite ao poder público e aos seus parceiros orientar os responsáveis pelas crianças sobre a importância da identificação, principalmente em locais de grande concentração de pessoas, evitando que um momento de festa e alegria se torne uma tragédia familiar", explica o secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Social, Pedro Fernandes.

A presidente da FIA, América Tereza Nascimento da Silva, também destacou a importância da campanha, lembrando que, além da Central, as pulseiras estão disponíveis para retirada na Rodoviária Novo Rio, nos aeroportos do Galeão e Santos Dumont e na sede da FIA, em Botafogo. "Nesse período do Carnaval, o mundo passa por aqui. São turistas que vêm de toda a parte e chegam sem orientação. Por isso, a FIA realiza essa campanha, que já aconteceu em outros anos. Explicamos a importância de as crianças já saírem de casa identificadas e, se não tiver a pulseira, que coloque um crachá ou um adesivo com nome e contato dos responsáveis. Esse trabalho em conjunto visa justamente criar uma rede de proteção e reforçar a necessidade da identificação",

Na pulseira, os pais e responsáveis devem escrever o nome da criança, o endereço e um telefone de contato. A medida ajuda na identificação e localização da família, caso o menor se perca em meio à multidão. A campanha em parceria com os agentes da Operação Centro Presente começou nesta quarta-feira e a equipe da FIA já estará conscientizando o público que estiver no entorno da Central do Brasil. A ação também se estenderá à base Praça XV da Operação Centro Presente. Em ambas as áreas, circulam diariamente cerca de 600 mil pessoas.

"Essa campanha de prevenção ao desaparecimento é realizada de forma integrada, com a equipe de assistentes sociais da Operação Centro Presente, e com a Fundação para a Infância e Adolescência, que vai fazer distribuição aqui na base da Central do Brasil e da Praça XV, de 20 mil pulseiras de identificação e 60 mil panfletos explicativos, a partir de hoje. Aqui na Central, por ser um local de grande fluxo de pessoas, em média 400 mil por dia, vai ser um local permanente de distribuição e não apenas durante o Carnaval", adiantou o tenente Gabriel, subcoordenador da Operação Centro Presente da Central do Brasil.


Outras ações da FIA

Na quinta-feira (23/2), das 9h às 14h, é a vez do público que circula na Rodoviária Novo Rio receber as informações da FIA. Em parceria com a Socicam, empresa que administra o terminal rodoviário, uma equipe dará orientação aos responsáveis pelas crianças e distribuirá folhetos e pulseiras. Um banner da Fundação vai chamar a atenção do público para a importância das crianças usarem a pulseira de identificação.

O trabalho de prevenção inclui ainda uma parceria com o BRT Rio, que envolve quatro terminais de grande movimento: Alvorada, Recreio, Jardim Oceânico e Madureira. Equipes do BRT distribuem, durante o Carnaval (de 24 a 27/2), 20 mil pulseirinhas de identificação de menores e folhetos bilíngues que explicam como familiares devem proceder em caso de desaparecimento.

Mãe da pequena Jessica de dois anos, Eliane Alves, aprovou a iniciativa: "No Carnaval, especialmente na praia e nos bloquinhos, muitas crianças se perdem. Uma prima minha perdeu a filha na praia e ela ficou desesperada e esse tipo de coisa parte o meu coração. Agora sei que, quando sairmos de casa, seja comigo ou com o meu marido, a Jessica tem sempre que estar identificada com a pulseira no braço ou presa na roupa".

Em paralelo às ações de prevenção de desaparecimento, a FIA também participa da campanha "Respeitar, proteger, garantir - Todos juntos pelos direitos das crianças e dos adolescentes", que une o Comitê de Proteção Integral de Crianças e Adolescentes nos Megaeventos, os governos Federal e do Estado do Rio de Janeiro e a Prefeitura do Rio, que foi lançada nesta terça-feira (21/02), em evento no Museu do Amanhã (Zona Portuária do Rio).

Em caso de desaparecimento de crianças ou adolescentes, o responsável deve procurar uma Delegacia de Polícia próxima a sua residência e fazer o Registro de Ocorrência imediatamente. Também deve cadastrar fotos e outros dados sobre a criança no site do programa S.O.S. Crianças desaparecidas (www.soscriancasdesaparecidas.rj.gov.br), que também atende pelos telefones: (21) 2286-8337 e (21) 98596-5296 (com WhatsApp).

Voltar
FIA - Fundação para a Infância e Adolescência
Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia e Desenvolvimento Social