SOS CRIANÇAS DESAPARECIDAS FAZ AÇÃO NA CENTRAL DO BRASIL

Atualizado em 27/07/2016 - 13:29h

O evento serve de prevenção para a Rio 2016

O SOS Crianças Desaparecidas, programa da Fundação para a Infância e Adolescência (FIA), órgão vinculado à Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos, realizou nesta quarta-feira, 27 de julho, uma ação de prevenção para que as crianças possam transitar durante as olimpíadas com segurança. Os técnicos do programa distribuíram pulseiras de identificação e tiraram dúvidas sobre como proceder nos casos de desaparecimento de crianças e adolescentes.

A ação foi motivada pela grande quantidade de registros de crianças perdidas durante a realização de grandes eventos como a Rio 2016. Nas pulseiras, os familiares e responsáveis colocam o nome da criança e um telefone de contato. A medida ajuda na identificação, em caso de desaparecimento.

Rose de Paiva, de 28 anos, operadora de serviços gerais é moradora de Nova Iguaçu na Baixada Fluminense sempre vem ao Centro do Rio para levar seus filhos, Yan de Paiva, de sete anos, e Ana de Paiva, de cinco anos, ao médico. Ela acredita que com as olimpíadas a cidade vai ficar cheia de gente e demonstrou preocupação: "Essa pulseirinha é mais uma garantia de segurança dos meus filhos, não podemos descuidar um minuto".

O gerente do Programa, Luiz Henrique Oliveira, enfatiza a realização e a mobilização desse evento em locais de grande movimentação de pessoas. "A intenção da FIA é reforçar a cultura da identificação. A Central do Brasil é um ponto estratégico de ligação entre o Centro do Rio e as demais zonas da cidade, onde passam milhares de pessoas acompanhadas de crianças e adolescentes. Por isso fazemos um apelo para que os pais redobrem a atenção e identifiquem seus filhos para maior segurança", concluiu.

O programa, criado em 1996, completou 20 anos e desenvolve ações voltadas à identificação e localização de crianças e adolescentes desaparecidos e sua reintegração familiar, resguardando direitos fundamentais de proteção. O Estado do Rio de Janeiro tem o maior percentual de resolução de casos do país, com 85% das pessoas localizadas.

Em caso de desaparecimento de crianças ou adolescentes, o responsável deve procurar uma delegacia e fazer o registro de ocorrência imediatamente. Após esta etapa, a família deve comparecer ao SOS Crianças Desaparecidas com o registro de ocorrência, certidão de nascimento ou carteira de identidade do desaparecido, a foto mais recente, documento de identificação do responsável e comprovante de residência.

A pessoa será atendida por um membro da equipe técnica da FIA, composta por assistentes sociais e psicólogos. Será realizado um atendimento psicossocial para preenchimento do questionário social, onde serão registradas as informações referentes à criança e seu desaparecimento. O responsável assina uma autorização para que a foto seja divulgada.

A partir desses dados, são feitos cartazes com a foto, que são entregues ao responsável para distribuição nas imediações de sua comunidade. Paralelamente, o SOS envia as fotos para a imprensa, inclusive em outros estados. Por meio do telefone (21) 2286-8337, o programa recebe informações sobre o possível paradeiro da criança ou do adolescente.

Voltar
FIA - Fundação para a Infância e Adolescência
Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos